Palestra sobre Reforma Trabalhista discutirá os impactos no direito do trabalhador

Reforma Trabalhista: “Os Impactos no Direito do Trabalhador” é o tema da palestra que acontece nesta quinta-feira (21), das 19 às 21h, no Monreale Hotel Classic.

O palestrante será ministrada pelo Diretor Secretário Geral da CNTC (Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio) e presidente da FEAAC (Federação dos Empregados de Agentes Autônomos do Comércio do Estado de São Paulo), Lourival Figueiredo Melo, e tem como objetivo explicar a Lei aprovada e as alterações que afetarão as relações de trabalho, com a retirada de direitos trabalhistas arduamente conquistados.

Os interessados em participar do evento, que tem vagas limitadas, devem enviar a ficha de inscrição preenchida para o SEAAC, pessoalmente ou no e-mail, elizabete@seaaccampinas.org.br.

O encontro é gratuito e o Monreale Hotel Classic fica na Av. Aquidabã, 280, no Centro de Campinas.

Serviço
Palestra sobre a Reforma Trabalhista: “Os Impactos no Direito do Trabalhador”
Data: 21/09 (quinta-feira)
Horário: das 19 às 21h
Local: Monreale Hotel Classic – Av. Aquidabã, 280 – Centro – Campinas/SP
Inscrições preencher ficha de inscrição e enviar pelo e-mail: elizabete@seaaccampinas.org.br

Fonte: SEAAC

Artigos relacionados

Notícias 0 comentários

Consulta Nacional sobre Reformas e Auditoria da Dívida

A grande mídia só fala em “déficit” da Previdência e necessidade de contrarreformas que destroem seu direito à aposentadoria, além de outros direitos sociais e trabalhistas. Na realidade, a Seguridade

Notícias

Nota Pública da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação sobre o fim do PNE

O fim do PNE – Plano Nacional de Educação é mais uma consequência do golpe!! A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, entidade representativa de mais de 4,5

Notícias

CNBB manifesta apoio ao Cimi e denuncia desrespeito a direitos conquistados

Para a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), as acusações recebidas pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi) são infundadas e injustas. Em nota divulgada pela presidência da entidade nesta quinta-feira,

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!