Centrais sindicais emitem nota sobre a suspensão da greve geral do dia 5/12

As centrais sindicais e as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo emitiram nota nesta sexta-feira (1°) sobre a greve geral que estava agendada para a próxima terça-feira (5). Em sua manifestação, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) alegou que, diante da retirada da reforma da Previdência da pauta de votação da Câmara no próximo dia 6, “as centrais sindicais, CUT, Força Sindical, UGT, Nova Central e CSB, decidiram suspender a greve nacional convocada para o próximo dia 5” (leia a nota completa). “Conclamamos todos os trabalhadores e trabalhadoras a continuarem mobilizados, em estado de alerta”, acrescenta nota.

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), no entanto, discordou da suspensão da paralisação. “Diante da posição adotada pela maioria das Centrais, da qual discordamos profundamente, e entendendo ser estratégico aprofundar a dificuldade do governo em arregimentar apoio para votar o projeto que acaba com o direito à aposentadoria do nosso povo, a CTB orienta sua base a permanecer em luta DIA 5 DE DEZEMBRO e realizar ATOS na porta das sedes do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) em todas as cidades do país”, posicionou-se a CTB, também em nota.

Embora haja divergência quanto à paralisação, a orientação para uma mobilização permanente é um ponto consensual. Em sua manifestação pública, a Frente Brasil Popular, por exemplo, reafirmou seu “compromisso com a luta em defesa da aposentadoria”, convocando “todos os movimentos sociais para construir e mobilizar o Dia Nacional de Atos e Protestos em Defesa da Aposentadoria”. “A decisão de adiar a votação é uma vitória do movimento sindical e social, por isso mesmo devemos ampliar a mobilização, agitação e diálogo com a sociedade brasileira”, declarou a secretaria da Frente (leia a nota). Já a Frente Povo Sem Medo expressou que “compreende que a ameaça permanece, exigindo mobilização permanente dos setores populares contra este grave ataque do governo Temer”. “Por isso, de nossa parte, manteremos as manifestações de rua marcadas para o dia 5 em várias cidades brasileiras e apoiaremos todas as paralisações dos trabalhadores. Seguiremos com a orientação de unidade com a Frente Brasil Popular na construção destas atividades”, acrescentou.

Frente à decisão anunciada pela maioria das centrais sindicais de cancelar a greve do dia 5, e também diante da determinação de várias entidades de realizar na mesma data um dia de manifestações e luta, a Contee manifesta seu repúdio à reforma da Previdência e apoio a todas às manifestações e entidades sindicais, populares e democráticas que se somam nessa luta.

Fonte: Contee

Artigos relacionados

informativos

Candidatos a vereador do PSDB, DEM, PV, PT e PSDC participaram de sabatina

Na quinta-feira à noite (22) aconteceu a terceira sabatina com os candidatos à Câmara Municipal de Campinas. O encontro, sob o tema, “O Legislativo e as Políticas Públicas para a

informativos 0 comentários

Apropucc na luta contra a violência à mulher

10 de outubro é o Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher. Em 1980 a data foi marcada com um movimento que começou em São Paulo, quando mulheres

informativos 0 comentários

Posse da diretoria reafirma luta em defesa dos interesses dos professores

A tarde desta quinta-feira (18) foi marcada pela posse da nova diretoria da Apropucc. A comemoração realizada na sede da entidade foi prestigiada por dirigentes sindicais, diretores de faculdades, coordenadores

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!