Acordo no Ensino Superior preserva Convenção e assistência médica

Depois de aprovada em assembleia nos sindicatos, a nova Convenção Coletiva de professores e auxiliares no Ensino Superior privado em São Paulo está assinada e valendo. Tem força de lei e dobra a reforma trabalhista: aqui, vale o negociado (melhor que a lei) do que o legislado!

Veja a integra do acordo nestes comunicados conjuntos, assinados pela Fepesp e seus sindicatos e o Semesp, sindicato das mantenedoras:
http://fepesp.org.br/…/comunicado-conjunto-01-2018-educacao…
http://fepesp.org.br/…/comunicado-conjunto-02-2018-educacao…

Nossa Campanha – Diante da nossa resistência, a comissão de Negociação formada pela Fepesp e seus sindicatos integrantes conseguiu demover as mantenedoras a eliminar nossa assistência médica. Nesta semana, foi construída uma proposta que mantêm os planos de saúde, com algumas modificações. A proposta inclui reajuste pela mpedia dos indices de inflação, de 2,14%, retroativo a 1º de março, data base de professores e auxiliares de administração escolar.

Essa proposta, submetida à discussão e aprovação em assembleias específicas nos sindicatos, tem seus destaques nestes pontos:

–  Renovação da Convenção Coletiva com duração de 2 anos.
–  Reajuste 2018: 2,14%.
– Plano de saúde: será mantido na Convenção. As mantenedoras poderão optar por alterar as condições atuais, adotando coparticipação e o trabalhador assumindo a diferença entre a sinistralidade e o reajuste pela ANS, na data de aniversário do plano e enviando documentação a uma comissão de Federações e Semesp. Caso assim procedam, em 2019, reajustarão os salários pela média dos índices + 0,86%.
– As mantenedoras que optarem por manter as condições atuais estipuladas na convenção, podendo não receber contribuição alguma do trabalhador, reajustarão os salários em 2019 pela média dos índices.
– Reajustes e atualizações na Convenção Coletiva serão retroativos a 1º de março, data base de professores e auxiliares de administração escolar na rede privada de São Paulo.

Desde fevereiro, a comissão de negociação dos sindicatos integrantes da Fepesp vinha discutindo propostas sérias, detalhadas e bastante complicadas envolvendo a assistência médica de professores e auxiliares.

A intenção inicial das mantenedoras era a de acabar com o plano ― alegando alta de custos. Ofereceram, sem qualquer seriedade, trocar o plano de saúde por vale-alimentação, o que rejeitamos de pronto.

Nesta proposta, a assistência médica será preservada e foi rompido o impasse que travou a negociação por meses. A proposta foi aprovada em assembleia das mantenedoras. Agora, deverá ser discutida e aprovada em assembleias especificas de professores e auxiliares de administração escolar. Fique atento aos avisos do sindicato para a data da sua assembleia.

Fonte: Fepesp

Artigos relacionados

Notícias

Dobra número de professores com transtornos mentais no Brasil

Uma recente pesquisa divulgada pela Globonews afirmou que o número de professores de escolas estaduais afastados por transtornos mentais ou comportamentais quase dobrou entre 2015 e 2016. De acordo com

Notícias

Psicodrama Público: E aí? A sua vida se repete?

E se essa minha vida se repetisse sempre? Essa é a provocação apresentada pelo “Psicodrama Público – Teatro da Vida” que será realizado dia 1° de Outubro, das 19 às

Notícias

Ato Contra a Reforma da Previdência em Campinas

O governo usurpador de Michel Temer, planeja enviar o projeto de Reforma da Previdência nos próximos dias, projeto este que colocará em vigor, entre outras medidas- o aumento da idade

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!