Apropucc solidariza-se com a professora que sofre ação truculenta da PM

A Apropucc vem solidarizar-se com a professora Camila Marques, docente do Instituto Federal de Goiás (IFG), e manifestar-se com indignação frente à ação de violência, abuso de autoridade e arbitrariedade da polícia local que a deteve de forma ilegal e truculenta.

Camila, que é também coordenadora-geral do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe), tentou impedir a invasão dos policiais em sala de aula e fotografar a prisão de alunos que seriam levados em viatura descaracterizada. Ela aceitou acompanhar os jovens como testemunha, porém, depois, foi impedida de falar com seu advogado e algemada logo em seguida. Presa, sofreu a truculência dos policiais até que conseguiu, diante do delegado, falar com seu advogado.

A professora já vinha sendo perseguida e ameaçada por seu posicionamento ideológico e político. Ela foi solta. No entanto, nós continuamos presos cada vez que ficamos calados diante de um professor ou professora que é atacada em sua missão e em seu direito de cátedra, cada vez que o debate na educação é criminalizado e os direitos humanos são atropelados pelo arbítrio de quem deveria dar bom exemplo e cumprir a Constituição Federal.

A Apropucc defende a liberdade de cátedra e de expressão de professores e alunos, a preservação do ambiente escolar/universitário para a construção do conhecimento científica e socialmente relevante e do debate crítico e qualificado. Por essa razão, repudia a institucionalização da violência nesses espaços, o que vem acontecendo com frequência, e o ataque aos docentes que já sofrem o bastante por carregarem nas costas a desvalorização da educação que a sociedade em geral lhes confere.

Artigos relacionados

Notícias

Apropucc e Sinpro são contrários às mudanças na carga horária dos professores

A diretoria da Apropucc e do Sinpro Campinas e Região estiveram reunidos com a reitoria da PUC-Campinas nesta segunda-feira, dia 19, para obter esclarecimentos sobre as alterações da atribuição de

Notícias

Assédio Moral: evento debateu práticas abusivas nas relações de trabalho

Nesta quarta (25), o auditório do Centro de Convenções se encheu com servidores, docentes e gestores durante o Fórum “Refletir”, organizado pela CGU (Coordenadoria Geral da Universidade) e com a

Notícias 0 comentários

Moção de Apoio à Luta dos Professores Estaduais de São Paulo

Em São Paulo, os professores da rede estadual estão em greve desde 13 de março, reivindicando reajuste salarial e melhores condições de trabalho. Para apoiar essa luta justa e cobrar

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!