A História da Riqueza do Homem

O professor, Coordenador-Técnico do CES,  ex-Presidente da CONTEE e do SINPRO Campinas, Augusto César Petta, resenhou o livro do jornalista e escritor marxista norte-americano Leo Huberman intitulado “História da Riqueza do Homem”. 

Na condição de professor de cursos de formação política e sindical, fui várias vezes inquirido sobre qual o melhor livro que indicaria para alguém que está querendo ter uma base consistente para entender os mecanismos da sociedade atual com as suas contradições, do movimento sindical dos trabalhadores, da política mais geral. É muito difícil afirmar com precisão qual o melhor livro, até porque há vários livros que atendem a esta necessidade. Posso, no entanto afirmar, que está entre os melhores, “História da Riqueza do Homem” do jornalista e escritor estadunidense Leo Huberman, escrito em 1936, portanto há quase 80 anos. Mais recentemente, em 2009, já na vigésima segunda edição, Marcia Guerra, historiadora e professora da PUCRJ, deu continuidade a obra de Huberman, incluindo dois capítulos que tratam de temas atuais, como a expansão e a crise do capitalismo, a ordem neoliberal e a queda da experiência socialista na URSS.

Destaca-se neste livro, a análise compreensível do mundo feudal, da dinâmica capitalista e da perspectiva socialista. Huberman conseguia levar a estudantes e operários, de forma simples, os ensinamentos de vários autores clássicos, entre eles o maior de todos, Karl Marx. Recebeu um elogio de um dos maiores revolucionários do século XX, Che Guevara: “Huberman cumpre com perfeição a primeira tarefa de um revolucionário –ser claro”.

O livro divide-se em duas partes: a primeira “Do feudalismo ao capitalismo” e a segunda “Do capitalismo ao….”. Na primeira parte, são abordadas questões fundamentais para comprender o modo de produção feudal e a passagem para o modo de produção capitalista: como o feudo era organizado? Qual a diferença entre servo e escravo? Como se dava a relação entre senhor e servo?  Qual o papel da Igreja e da nobreza? Como surge o comerciante? Como se dá o intercâmbio das mercadorias? Como surgem as cidades? Como aparecem os burgos e os burgueses? E a revolução comercial? E o industrial incipiente? E o mercado e o mercantilismo? E o advento da Revolução Francesa? Na segunda parte, os capítulos referem-se ao modo de produção capitalista e a sua passagem para a sociedade socialista. Busca responder a questões essenciais: de onde vem o dinheiro? Como se desenvolvem os meios de produção e as forças produtivas?  E o surgimento da indústria moderna, com todas as mazelas de exploração sobre os trabalhadores? Como se opera a revolução na indústria, na agricultura e no transporte? E o fascismo, o nazismo  e as guerras? Como se dá o crescimento da indústria? E as crises do capitalismo? Como são criadas as condições para chegarmos à sociedade socialista? E a Revolução Russa?  E a grande descoberta de Marx , a mais valia, que coloca a nu a exploração capitalista?

Calcula-se que já foram vendidos mais de meio milhão de exemplares deste livro, indicado por muitos professores de História nas escolas. Muitos estudantes, insatisfeitos com as explicações “oficiais”- em que a história da humanidade é contada do ponto de vista das classes dominantes – encontraram no livro de Huberman, a explicação que procuravam para melhor entender esse mundo de tanta complexidade em que vivemos. E na medida que comprenderam melhor, muitos se engajaram na luta política, buscando contribuir para a construção de uma sociedade justa , solidária e soberana.

Seja pelo seu conteúdo de grande qualidade, seja pela clareza com que consegue transmitir através da escrita, suas ideias, “História da Riqueza do Homem” torna-se leitura obrigatória para aqueles que querem desvendar os meandros do sistema capitalista e ter maior segurança na atuação política rumo à sociedade socialista.

Se aceitar minha sugestão, desejo a você, boa leitura!

Augusto César Petta é professor, Coordenador-Técnico do Centro Nacional de Estudos Sindicais e do Trabalho (CES),  ex-Presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (CONTEE) e do Sindicato dos Professores de Campinas e Região (Sinpro Campinas).

Artigos relacionados

Notícias

Sarau dos Professores recebe Anabela e Edu Maria do Núcleo Cupinzeiro

Nesta semana temos mais uma edição do Sarau do Professor. Desta vez com a dupla musical Anabela e Edu Maria do Núcleo Cupinzeiro. No repertório, além de músicas autorais do

Notícias

Delegação brasileira denuncia Reforma Trabalhista na 106ª Conferência Internacional do Trabalho da OIT

A coordenadora da Secretaria de Relações Internacionais da Contee, Maria Clotilde Lemos Petta, e a presidenta do Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar de Minas Gerais (Saaemg), Rogerlan Augusta de

Notícias

Educação Superior: SEMESP faz proposta de plano de saúde

Na sessão de negociação desta segunda feira, 12/03, participaram a Fepesp, representando os professores, e o SEMESP, representando a comissão patronal das instituições de ensino superior privadas. Os representantes do

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!