Precarização do Trabalho e Saúde do Trabalhador é tema de livro acadêmico

Precarização do Trabalho e Saúde do Trabalhador é tema de livro acadêmico

Em breve será lançado o livro “A Hýbris de Saturno: Precarização do Trabalho, Saúde do Trabalhador e Invisibilidade Social” que aborda questões acerca do adoecimento do trabalhador e da precarização do trabalho e das suas relações.

Confira abaixo resenha produzida pelos professores Giovanni Alves, André Luís Vizzaccaro-Amaral e Bruno Chapadeiro:

“No livro “A Hýbris de Saturno: Precarização do Trabalho, Saúde do Trabalhador e Invisibilidade Social”, procuramos fomentar o debate acerca da temática Trabalho-Saúde destacando a invisibilidade social, oriunda da natureza ideológica do capitalismo, a que os trabalhadores adoecidos estão submetidos, frente à precarização do trabalho como precarização da pessoa humana-que-trabalha.

O título do livro sugere a tese de que a miséria humana das pessoas-que-trabalham decorrem, entre outras coisas, da hýbris do capital como sujeito automático da auto-valorização do valor. O capital, como o deus Saturno, deus do Tempo na mitologia romana, é o senhor do Tempo. “Time is Money”, disse Benjamin Franklin. O capital é movimento voraz que reduz tempo de vida a tempo de trabalho estranhado.

Como o deus mitológico Saturno, ele devora seus filhos – o mundo dos homens do qual é expressão alienada. Na língua grega, Hýbris significa qualquer violação da norma da medida e dos limites que o homem deve encontrar nas suas relações com o outro, com a divindade e com a ordem das coisas. Portanto, Hýbris de Saturno significa a desmedida do capital como sujeito estranhado do processo civilizatório que, nas condições da crise estrutural do capital, devora o mundo dos homens. A maior expressão da desmedida do capital é a predominância do capital financeiro na dinâmica de valorização da riqueza capitalista. Como reprodução hermafrodita da riqueza abstrata, o capital financeiro dilacera a Humanidade proletária – corpo e alma. Esta é a era da barbárie social. Eis a ponta do iceberg das depressões e adoecimentos físicos e psicológicos que crassam no mundo do trabalho hoje. E pior: adquirem o status de invisibilidade social por conta do poder da ideologia disseminada pelos aparatos sistêmicos do capital hegemônico.

A multidisciplinaridade presente nesta obra, produzida coletivamente a partir dos esforços de importantes protagonistas e de novos pesquisadores envolvidos com a temática do “trabalho e saúde”, reflete as múltiplas dimensões do trabalho, reafirmando, assim, sua centralidade na ontologia do ser social.”

Confira abaixo o índice bibliográfico do livro “A Hýbris de Saturno: Precarização do Trabalho, Saúde do Trabalhador e Invisibilidade Social”:

Capítulo Introdutório. Invasões Bárbaras

Sergio Augusto Vizzaccaro-Amaral (Professor Convidado. TArte. São Paulo-SP)

SEÇÃO 1. Trabalho, Saúde e Invisibilidade Social

Capítulo 01. Prometeu adoecido: capitalismo global e adoecimento da pessoa humana

Giovanni Alves (Professor Titular. UNESP. Marília-SP)

Capítulo 02. A construção social da invisibilidade das doenças e mortes relacionadas ao trabalho

Dolores Sanches Wunsch (Professora Adjunta. UFRGS. Porto Alegre-SP)

Jussara Maria Rosa Mendes (Professora Adjunta. UFRGS. Porto Alegre-SP)

Capítulo 03. Brevíssima história da legitimação da precarização da saúde do trabalhador no Brasil mediante o saber médico-psiquiátrico-taylorista

Roberto Heloani (Professor Titular. UNICAMP. Campinas-SP)

Margarida Barreto (Professora Convidada. PUC-SP/FCM-Santa Casa-SP. São Paulo-SP)

SEÇÃO 2. Saúde, Subjetividade e a Precarização do Trabalho

Capítulo 04 . A (in)visibilidade dos “(in)capacitados para o trabalho”

André Luís Vizzaccaro-Amaral (Professor Adjunto. UEL. Londrina-PR)

Capítulo 05. Dificuldades no reconhecimento das doenças do trabalho e a invisibilidade social de trabalhadores

Maria Elizabeth Antunes Lima (Professora Titular. UFMG. Belo Horizonte-MG)

Capítulo 06. Precariedade do trabalho, precarização da vida: uma análise do trabalho nos call centers

Selma Venco (Professora Doutora. UNICAMP. Campinas-SP)

Capítulo 07. Os impactos das condições de trabalho sobre a subjetividade do professor de ensino superior privado de Campinas

Liliana Aparecida de Lima (Professora. PUCCamp. Campinas-SP)

Capítulo 08. Corações e Mentes: nexos da “captura” da subjetividade nos programas comportamentais em saúde e segurança no trabalho

Bruno Chapadeiro (Pesquisador. UNICAMP. Campinas-SP)

SEÇÃO 3. Dimensões Jurídico-Administrativas e Saúde do Trabalhador

Capítulo 09. Antropoética

Luiz Salvador (Advogado Trabalhista e Previdenciário. ALAL. Curitiba-PR)

Olímpio Paulo Filho (Advogado Trabalhista e Previdenciário. ABRAT. Curitiba-PR)

Capítulo 10. Terceirização: mortes e mutilações de trabalhadores nos setores elétrico, petroleiro e da construção civil

Grijalbo Fernandes Coutinho (Desembargador. TRT-10. Fortaleza-CE)

Capítulo 11. O amanhecer da reestruturação produtiva: os programas de metas e o recrudescimento dos riscos psicossociais no setor bancário

Luciana Veloso Baruki (Auditora Fiscal do Trabalho. MTE-Governo Federal. São Paulo-SP)

Crédito: FreeImages.com/Ricardo Vasquez (#1558780)

Artigos relacionados

informativos

Assembleia para discutir sobre reajuste no plano de saúde

O Sinpro realizará no dia 05 de junho, terça-feira, às 14h30, a assembleia que irá discutir  o reajuste anual dos planos de saúde da Unimed. Os professores usuários dos planos

informativos

Plano de Saúde garantindo até 1º de Maio, enquanto seguem as negociações

Devido às mobilizações e união dos docentes, foi estendido até o dia 1º de maio, o prazo de validade da cláusula que garante assistência médico-hospitalar a professores e auxiliares de

informativos

Jornal da Apropucc – Agosto/2016

Baixe aqui o Jornal da Apropucc, de Agosto de 2016. Boa leitura!  

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!