Seminário: O Centenário da Greve Geral e o Arquivo Edgard Leuenroth/Unicamp

O AEL (Arquivo Edgard Leuenroth) da Unicamp está organizando o seminário “GREVE GERAL DE 1917 – O Centenário da Greve Geral e o Arquivo Edgard Leuenroth”. Será quarta-feira (28), das 9h30 às 16h30, no AEL (Rua Cláudio Abramo, 377, Cidade Universitária/Unicamp).
Neste evento além de debater o significado, processo e legado na primeira Greve Geral do Brasil, que foi um grande marco organizativo para os trabalhadores brasileiros e também na conquista dos primeiros direitos trabalhistas, também será lançando um olhar sobre os próprios direitos trabalhistas e o pior ataque sobre esses: as propostas de Reformas do Governo Temer.PROGRAMAÇÃO:
9h30 – Abertura
Prof. Dr. Alvaro Bianchi – Diretor – AEL
Prof. Dr. Christiano Key Tambascia – Dir. Adjunto – AEL

10h – Mesa: Direitos Trabalhistas de 1917 a 2017 Da Greve Geral à Reforma Trabalhista de Temer
Profa. Dra. Andréia Galvão (Coord. da mesa)
Prof. Dr. Ricardo Antunes
Prof. Dr. José Dari Krein
Dra. Desembargadora Magda Barros Biavaschi

13h30 – Lançamento do “Jornal de Borda” (com edição fac-símile do “Jornal A Plebe”)
Concepção e Edição de Fernanda Grigolin

14h – Mesa: A greve Geral de 1917 – Importância e Legado
Prof. Dr. Cláudio Batalha (Coord. da mesa)
Prof. Dr. Luigi Biondi
Profa. Dra. Glaucia Fraccaro
Profa. Dra. Christina Lopreato

O seminário é gratuito e aberto ao público. Confirme sua presença no Facebook, clique aqui.

 

greve_geral_ael

 

Fonte: AEL/Unicamp

Artigos relacionados

Notícias

Venha para a Reunião Temática: A relação professor-aluno te dá medo?

A Apropucc convida os docentes da PUC-Campinas para a Reunião Temática que irá debater “Liberdade de Pensamento na Universidade – A relação professor-aluno te dá medo?”. Essa é uma atividade

Notícias

Jurista abandona direito e adota Freud para entender sentença de Moro

Em artigo publicado no livro disponível para download Comentários a uma sentença anunciada – o processo Lula, a jurista Cristiane Brandão, professora adjunta de Direito Penal e Criminologia da Universidade Federal do

Notícias

1968: 50 anos depois – “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer!”

De 16 a 18 de maio, às 19h, no MIS (Museu da Imagem e do Som) de Campinas,a Apropucc e demais entidades sindicais, estudantis e dos movimentos populares convidam para

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!