Movimento pela Ciência e Tecnologia Pública inicia ciclo de debates sobre as eleições

Primeiro evento acontece dia 30, com a participação de Frei Betto, Bia Barbosa e Ricardo Antunes

O ciclo de debates ELEIÇÕES 2018, realizado pelo Movimento pela Ciência e Tecnologia Pública (MCTP), começa nesta quinta-feira, 30, com a mesa “As eleições e a construção de um projeto popular de País – reflexões sobre o processo eleitoral”. O evento será realizado no auditório da Associação de Docentes da Unicamp (ADunicamp), a partir das 17h, com transmissão ao vivo pela internet.

Para debater o tema foram convidados Frei Betto (assessor de movimentos sociais, escritor premiado e reconhecido mundialmente pelo seu ativismo em defesa dos direitos humanos), Bia Barbosa (da coordenação executiva do Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social, organização que trabalha pela efetivação do direito humano à comunicação no Brasil) e Ricardo Antunes (professor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – IFCH/ Unicamp). A mediação será feita por Wagner Romão, presidente da ADunicamp.

O ciclo de debates ELEIÇÕES 2018 tem como proposta a realização de uma série de eventos para debater questões a partir do processo eleitoral.

O debate desta quinta-feira pode ser acompanhado pelos sites www.adunicamp.org.br e  www.ctpublica.wordpress.com.

Fonte: Movimento Pela Ciência e Tecnologia Pública

Artigos relacionados

Notícias

Prazo para requerer 1ª parcela do 13º salário vai até 31 de janeiro

O professor que pretende receber a metade do 13ª salário junto com as férias de julho de 2016 tem até o dia 31 de janeiro para requerer o benefício. O

Notícias

#PrimaveraDeLutas começa com ato na Paulista nesta sexta-feira (22)

As centrais sindicais (CTB, UGT, Força Sindical, Nova Central e CSB) convocaram os trabalhadores nesta sexta-feira (22) , ocupar a Avenida Paulista (em frente ao Masp), a partir das 10h,

Notícias

Centrais pedem que TST suspenda sessão que vai rever regras trabalhistas

FAs centrais sindicais emitiram nota conjunta sexta-feira (2) pedindo a suspensão da audiência marcada para 6 de fevereiro, na qual o Tribunal Superior do Trabalho (TST) pretende analisar a alteração

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!