Organizações se negam a participar de Fórum de Educação ‘desfigurado’ por Temer

São Paulo – A Campanha Nacional pelo Direito à Educação, organização formada por várias instituições ligadas ao tema, comunicou ontem (4) ao Ministro da Educação, Mendonça Filho, que não vai indicar representantes para compor o novo Fórum Nacional de Educação. De acordo com o documento assinado pelo coordenador geral da Campanha, Daniel Cara, a intervenção “unilateral e arbitrária” do ministro no Fórum o “deixou desfigurado, carente de legitimidade e submisso às decisões” do próprio Mendonça Filho, “o que fere os princípios da auto-representação e da autonomia da sociedade civil em espaços democráticos e participativos”.

O ministério redefiniu a composição do Fórum incluindo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ligado à própria pasta, e excluindo, por exemplo, a Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee), representantes da sociedade civil, alegando que estas organizações atuavam de “forma partidária”.

Cara também destacou o Decreto Executivo de 26 de abril de 2017 e a Portaria 577 do Ministério da Educação, publicada em 27 de abril de 2017, que desmontaram o sistema participativo de monitoramento e avaliação do Plano Nacional de Educação (PNE) 2014-2024, cerceando também a participação social na construção do próximo plano. Além disso, o ministro travou a realização da Conferência Nacional de Educação (Conae) prevista para o ano que vem. O documento foi enviado em resposta ao pedido para que a entidade indicasse um membro para o fórum.

O coordenador da Campanha ainda apontou outros retrocessos que marcam a gestão Mendonça Filho no Ministério da Educação, dentre as quais, a revogação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Sinaeb); a aprovação da “desastrosa e caótica” Reforma do Ensino Médio por meio de medida provisória; a divulgação não transparente de duas versões da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), “com o texto oficial excluindo os termos ‘identidade de gênero’ e ‘orientação sexual’ – em obediência a setores ultraconservadores da base parlamentar de Temer”.

“Essas medidas elencadas, entre outras que poderiam ter sido citadas, compõem um conjunto de políticas implementadas por um governo capaz de editar a Emenda à Constituição 95/2016, que estabelece um teto de 20 anos aos gastos públicos federais, inviabilizando a consagração plena de todos os direitos sociais, especialmente a educação”, relatou Cara, lembrando que 103 países questionaram o Brasil na Organização das Nações Unidas (ONU) sobre Direitos Humanos, educação e políticas sociais, sendo recomendado que o país garanta a implementação do PNE.

Por fim, a Campanha sugeriu que Mendonça Filho aceite a recomendação da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) do Ministério Público Federal (MPF), para que revogue a Portaria e o Decreto Executivo. “Caso contrário, o próximo governo, após a retomada da normalidade democrática, independentemente de qual força partidária sairá vitoriosa nas eleições de 2018, terá ainda mais trabalho para desconstruir todos os equívocos, desmandos e retrocessos produzidos por sua gestão”, concluiu a organização.

Fonte: Da Rede Brasil Atual

Artigos relacionados

Notícias

Artigo: Pedagogia Histórico-Crítica – Salto de qualidade na Formação do CES!

Em 2016, o Professor Dr. Dermeval Saviani completa 50 anos de magistério! Em 2017, sua irmã Drª Nereide Saviani também completará 50 anos de magistério!  Ambos se destacam como professores

Notícias

Recesso de Fim de Ano (2015)

O final do ano está se aproximando e por hábito a PUC-Campinas reduz o período de atividade. Desta forma, a Apropucc decidiu iniciar o recesso no dia 21 de dezembro/2015

Notícias

Dia do Trabalhador marca luta de resistência contra retrocessos e perda de direitos

Cerca de 1500 pessoas compareceram à Praça de Esportes no DIC VI em Campinas, na tarde de ontem, 1º de maio, no ato político e cultural do Dia do Trabalhador

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!