Sinpro Campinas: Professores demitidos da PUC-Campinas conquistam revisão de valores

Os professores da PUC-Campinas demitidos sem justa causa, entre 6 de dezembro de 2012 e 30 de junho de 2017, que fizeram as homologações da rescisão do contrato de trabalho no Sinpro Campinas, vão receber a partir do dia 13 de novembro, a diferença dos reflexos do Aviso Prévio legal de 3 dias de acréscimo para cada ano trabalhado. Os valores são fruto de uma ação coletiva  movida pelo Sinpro Campinas e Região e vão beneficiar 159 professoras e professores, que se desligaram da Universidade no período abrangido pelo processo.

Com base nas ressalvas feitas nas homologações, o Sinpro Campinas ingressou com uma ação coletiva contra a PUC, pleiteando o pagamento das diferenças de aviso prévio legal, a todos os professores demitidos sem justa causa nos últimos anos. O ingresso da ação só foi possível, porque ao realizar as homologações, o Sindicato conferiu o Termo de Rescisão e constatou a existência da irregularidade.

Segundo o Departamento Jurídico do Sindicato, a partir da análise dos Termos de Rescisão de Contrato, foram constatadas diferenças de reflexos do aviso prévio proporcional sobre as férias, 13º salário e FGTS (somente quanto à proporcionalidade de três dias por ano).

Após a audiência de conciliação e as rodadas de negociação, a PUC reconheceu o problema e aceitou pagar as diferenças de reflexos de aviso prévio, com correção monetária e juros legais calculados até a data da audiência, ocorrida em 21 de julho deste ano.

O valor total devido pela PUC é de R$ 506.887,54 e foi pago em três parcelas de R$ 168.962,51.

Com o depósito da última parcela em 25 de outubro, o Sinpro Campinas fará, a partir do dia 13 de novembro, o repasse dos valores devidos aos professores demitidos no período de 6 de dezembro de 2012 e 30 de junho de 2017, e portanto, beneficiados pelo processo.

Declaração
O professor (a) que está na lista do processo deverá preencher e assinar uma Declaração e enviar ao Sinpro, pessoalmente, ou via e-mail: juridico@sinprocampinas.org.br, informando seus dados pessoais e bancários para que o crédito do valor da ação seja feito em conta corrente ou poupança.

Os professores que quiserem saber o valor a que têm direito devem procurar a sede do Sinpro Campinas, situada à Av. Profa. Ana Maria Silvestre Adade, nº 100 – Parque das Universidades, e apresentar o documento de identidade.

Falecimento
Os dependentes de professor(a) já falecido (a) têm direito ao recebimento dos valores da ação, mediante apresentação dos seguintes documentos: certidão de óbito, comprovante do INSS de que é beneficiário da pensão, no caso de cônjuge e ou filhos menores, e ou pais e certidão de inventariante, para filhos maiores, ou outros beneficiários.

Fonte: Sinpro Campinas

Artigos relacionados

Notícias

11/04: Aula Pública sobre a Reforma da Previdência

Na terça-feira (11), das 11h35 às 13h15, o Campus II da PUC-Campinas (sala B-35) sediará a aula pública sobre a Reforma da Previdência. A intenção é discutir com os professores

Notícias

Bolsonaro e os livros de colorir

Dias atrás, acompanhei, por pura curiosidade mórbida, uma discussão que se seguiu no Facebook depois que alguém compartilhou uma entrevista com um professor doutor de filosofia com ao menos oito

Notícias

Formação de professoras o Ensino Superior para educação não presencial: educação em tempos de pandemia

Com a pandemia da Covid-19 as universidades brasileiras estão diante do desafio de educar de forma não presencial em meio a uma das maiores tragédias que nosso país já enfrentou.

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!