Exija seu direito de homologação no Sindicato

O Sinpro Campinas e região reitera a toda categoria que não abra mão dos seus direitos e exija que as homologações sejam feitas no Sindicato.

Os professores possuem vários direitos garantidos pelas Convenções e Acordos Coletivos de Trabalho que precisam ser conferidos e calculados.

Nossa agenda está aberta e estamos atendendo a categoria normalmente.

Como proceder se a escola recusar a homologar no Sindicato?

Caso a escola mantenha a postura intransigente da não homologação no sindicato, o professor não deve assinar documento fora da data e/ou com data retroativa.  Assine na data real em que se está homologando.  Antes de assinar a rescisão, o docente também deve conferir se o valor que está no documento é o mesmo que o valor depositado em sua conta.

Entre em contato com Sinpro Campinas pelo telefone  (19) 3256-5022 para marcar um horário com uma de nossas homologadoras e traga a sua homologação para ser conferida  que, em caso de irregularidades no documento, encaminhará o caso ao setor jurídico.

 

Fonte: Sinpro Campinas

 

Obs.: Além do Sinpro Campinas, a Apropucc está à disposição dos professores da PUC-Campinas para o que se fizer necessário.

Artigos relacionados

informativos

Professores que não receberam as férias na data correta devem procurar o Sinpro

A CLT e as Convenções Coletivas de Trabalho dos Professores determinam o pagamento do salário de férias e o adicional de 1/3 em até 48 horas antes do início das

informativos

Contee: Outubro, mês dos professores e professoras

O Sinpro Campinas e Região parabeniza todos os profissionais de Educação que, com dedicação e empenho têm realizado o seu trabalho, apesar das dificuldades e limitações impostas pela atual conjuntura.

informativos

Fepesp: Resistência, agora mais do que nunca

Ao votar contra a manutenção da compulsoriedade do recolhimento da contribuição sindical, o Supremo Tribunal Federal exarou voto político e condenou os sindicatos ao enfraquecimento maliciosamente montado na ‘reforma’ trabalhista. 

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!