Educação Superior: conflito na negociação reduzido a quatro pontos

Educação Superior: conflito na negociação reduzido a quatro pontos

Com entendimento pela manutenção da maioria das cláusulas da convenção coletiva de professores, campanha salarial  da Educação Superior agora discute férias, recesso, irredutibilidade de salários e reajuste salarial de 2020.

Em nova rodada de negociações realizada nesta segunda-feira, 11/05, a comissão de negociação da Fepesp recebeu uma resposta à proposta encaminhada pelos sindicatos na rodada da semana passada. As mantenedoras pediram a flexibilização de férias coletivas, com impacto no recesso de professores, e indicaram intenção de rever cláusula que prevê a irredutibilidade salarial, além de se negar a discutir qualquer reajuste salarial neste ano. Os motivos – ou desculpas – apresentados pelo lado patronal para sua proposta foram os da emergência provocada pelo enfrentamento à pandemia do coronavírus.
Fonte: Sinpro Campinas

Artigos relacionados

Notícias

Apropucc e Sinpro são contrários às mudanças na carga horária dos professores

A diretoria da Apropucc e do Sinpro Campinas e Região estiveram reunidos com a reitoria da PUC-Campinas nesta segunda-feira, dia 19, para obter esclarecimentos sobre as alterações da atribuição de

Notícias

Ato contra aumento da passagem de ônibus: “R$ 4,50 Não Dá!

A Prefeitura Municipal de Campinas aumentou no sábado passado (7) a tarifa do transporte coletivo para R$ 4,50. O valor é praticado para o pagamento em dinheiro ou com o

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!