A crise forjada da Previdência

A crise forjada da Previdência

De maneira objetiva a professora e pesquisadora do Instituto de Economia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), desvela o discurso oficial que sustenta, contabilmente, que a Previdência Social brasileira é deficitária. Segundo a economista, ao contrário do que afirmam os governos até aqui, há um superávit no sistema de pelo menos R$ 1,2 bilhão em 2006.

Denise Gentil, em pesquisa que culminou em sua tese de doutorado, constatou que no fluxo de caixa do INSS “há superávit operacional ao longo de vários anos” e que “o excedente de recursos do orçamento da Seguridade alcançou – em 2006 – a cifra de R$ 72,2 bilhões”.

Então a suposta crise da Previdência resultante de um processo histórico de falência, que envolve desde o envelhecimento da população, a baixa taxa de natalidade, a elevação do salário mínimo até a aposentadoria precoce, acaba de ser desmistificada pela professora como sendo uma manipulação estatística do governo federal em prol de interesses econômicos que nada têm a ver com seguridade social.

A professora de Economia defende ainda que existe um “cálculo distorcido” feito pelo mercado financeiro, que rasga a Constituição Federal ao transformar em déficit a parte da contribuição previdenciária reservada à União.

Em sua tese de doutorado, Denise mostra que os próprios dados oficiais divulgados pelo Ministério da Previdência Social provam uma considerável distorção entre o que é divulgado à população e o que realmente pode ser constatado por especialistas em relação ao financiamento previdenciário.

Confira a entrevista completa da professora Denise Gentil publicada no Jornal da UFRJ em 2007, mas que permanece muito atual devido à conjuntura de “reformas sociais” pela qual passa nosso país:

Artigos relacionados

informativos

Revolução Laura: reflexões sobre maternidade e resistência

Manuela D’Ávila, ex-deputada, jornalista e ex-candidata a vice-presidente da República lança em Campinas no próximo dia 16 de abril o livro Revolução Laura: reflexões sobre maternidade e resistência (Editora Belas Letras). (Foto:

informativos

Artigo: A docência na defesa da formação plena e crítica de jovens

Por Silvana Suaiden (*) A docência, inevitavelmente, nos coloca diante do desafio de formar jovens para a vida e não apenas de transmitir conhecimentos. Mas, para que mundo os formamos?

informativos 0 comentários

Apropucc na luta contra a violência à mulher

10 de outubro é o Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher. Em 1980 a data foi marcada com um movimento que começou em São Paulo, quando mulheres

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!