Assembleia vai discutir a contribuição sindical e a resistência à reforma trabalhista

Querem destruir seu Sindicato e junto com ele os seus direitos! A estratégia do governo e dos patrões é enfraquecer nossa organização e, para isso, a Reforma Trabalhista alterou de forma unilateral as regras que de financiamento dos Sindicatos. Hoje, nos mantemos com menos de 30% da arrecadação do ano de 2016. Agora, a sustentação financeira do Sindicato depende apenas da contribuição dos sindicalizados, embora as conquistas sejam para todos.

Com os sindicatos fragilizados, nossos direitos vão virar pó! Recesso, hora atividade, bolsa de estudos, férias não parceladas, garantia semestral de salário e outros direitos históricos da categoria podem acabar ou serem drasticamente reduzidos.

Sem o Sindicato quem perde é a categoria!

Por isso o Sinpro Campinas e região quer a participação de todos os professores, sindicalizados ou não, na assembleia do dia 3 de março. às 9h, na sede da entidade. É a categoria – e não os mentores da reforma trabalhista – que deve decidir sobre a sustentação financeira de seu sindicato e a cobrança da contribuição sindical.

Fonte: Sinpro Campinas

Artigos relacionados

informativos

Contee reforça convocação para resistir ao Escola Sem Partido

O Projeto de Lei 7180, cuja ementa “inclui entre os princípios do ensino o respeito às convicções do aluno, de seus pais ou responsáveis, dando precedência aos valores de ordem

informativos

Boletim da Apropucc – 02/2016

Baixe aqui o Boletim Apropucc – 02/2016, de 28 de Novembro de 2016.

informativos

Carta de Córdoba reafirma defesa da Educação Superior como direito universal

A educação superior na América Latina e no Caribe é um bem público social, um direito humano universal e um dever dos Estados-nações. Essa premissa é o que reitera a

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!