Escolas não podem utilizar banco de horas para compensar emendas de feriados

Professores que trabalharem fora do horário contratado devem receber horas extras

A adoção do banco de horas feita por algumas instituições de ensino para compensar emendas de feriados não está prevista nas Convenções e Acordos Coletivos de Trabalho da categoria, sendo assim irregular. Não é possível utilizar desta prática para compensar trabalhos como reunião pedagógica, festas e qualquer atividade fora do horário contratual do professor.

“A emenda de feriado é uma iniciativa da escola, então o professor não deve compensá-la em outros dias, principalmente aos sábados”, afirma Marilda Aparecida Ribeiro Lemos, diretora do Departamento Jurídico do Sinpro Campinas e Região.

Os professores não podem ter carga horária flexível, já que não se pode ministrar uma aula a mais, ou aumentar a duração de um período, o que descarta a adoção do banco de horas. Qualquer atividade realizada fora do horário contratado, seja ela aos finais de semana ou não, deve ser remunerada como hora extra.

Caso a escola se recuse a efetuar o pagamento sob a desculpa da existência do “banco de horas” a instituição estará desrespeitando a Convenção Coletiva e deverá ser denunciada ao Sinpro. O professor pode fazer a denúncia, com garantia de sigilo, pelo e-mail: sinprocampinas@sinprocampinas.org.br, pelo telefone (19) 3256-5022, ou pelo Fale Conosco do site: www.sinprocampinas.org.br.

Fonte: Sinpro Campinas

Artigos relacionados

informativos

1917: o nascimento do futuro

Há 100 anos o mundo foi sacudido e posto de pernas para o ar. Em um lugar remoto do planeta, num país atrasado economicamente, mergulhado em uma guerra, com os

informativos

Eleição do Sinpro: veja o roteiro das urnas para votação

O Sinpro Campinas e Região vai realizar, entre os dias 23 e 27 de outubro, a eleição para a escolha da sua nova Diretoria para o triênio 2018-2021. Apenas os

informativos

7 pontos da Reforma Trabalhista que tornarão a vida do trabalhador brasileiro um inferno

No próximo dia 11 de novembro, a lei da Reforma Trabalhista passa a valer em todo país. Saiba algumas mudanças que farão um inferno na vida do trabalhador brasileiro. Os

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!