Rabeca Cultural convida para a videoconferência “O Brasil Imaginado”

Rabeca Cultural convida para a videoconferência “O Brasil Imaginado”

Continuando com sua programação de atividades virtuais, a Rabeca Cultural convida para a segunda videoconferência do Projeto “Revisitando o Brasil. Viagens Contextualizadas. Do local ao Global/Do Global ao Local”, com o sociólogo e prof. Dr. Leandro Silva de Oliveira, com o título “O Brasil Imaginado”. Será dia 12/08 (quarta-feira), às 19h30 às 21h30, online pelo aplicativo Zoom.
As imagens e a imaginação atuam ao mesmo tempo como substrato e repositório do imaginário. O que isso quer dizer? Bem, com “imaginário” queremos nos referir a um espaço de experimentação que é resultante do processo histórico, mas que é também seu agente. Em um jogo algo labiríntico e especular, o imaginário nos conforma, mas é também por nós conformado.
Dito de outro modo, uma investigação sobre o imaginário é um olhar para dentro e para fora, para o que nos configura, sujeitos históricos que somos, mas que é também decorrência de nosso próprio agir no mundo, que é histórico.
Nesse sentido, será proposto uma incursão através de um conjunto de imagens que oferecerá alguns vislumbres de uma história outra da formação do Brasil. Partindo das representações produzidas pelos europeus sobre a América e os habitantes do Novo Mundo no século XVI, avançando por um mosaico imagético e imaginativo que faz dialogar variadas dimensões.
Da formação política aos ciclos econômicos, das nuances estéticas aos domínios mais rarefeitos da cultura, entrevemos, como pano de fundo, o problema da alteridade/identidade em arranjos movediços. E que, quiçá, permite apreender duas ou três ideias sobre a conformação e permanente ajuste entre as ideias europeias e as particularidades étnicas, ecológicas e culturais do país em formação.
Esse encontro conta com a curadoria do prof. Dr. Pedro Rocha Lemos
Leandro Silva de Oliveira
É doutor em Sociologia pela UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) com a tese: “Cinema de Favela: o real da ficção, a estética do político” (2018). Tem desenvolvido pesquisas e realizado publicações em importantes periódicos nacionais e internacionais sobre arte, imagem e imaginário na formação do Brasil.
Vinculado ao NaMargem – Núcleo de Pesquisas Urbanas – liderado pelo professor Gabriel de Santis Feltran, vem propondo interlocuções entre a produção de sociologia urbana stricto sensu, particularmente a produção sobre periferias, crime e violência, e os estudos de estética, semiótica e outros esforços de apreensão do sensível.
Atuou como professor e pesquisador junto ao NEAB (Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros) da UFSCar no projeto “Brasil-África, histórias cruzadas”, uma parceria do MEC com a UNESCO no Brasil. Ainda na confluência entre o campo do imaginário e as questões de raça e identidade na formação nacional, tem atuado junto ao MIPID – Programa Memória e Identidade – ministrando cursos livres para profissionais da educação da prefeitura de Campinas.
Informações 
O investimento no encontro é de R$ 30. Para mais informações ou inscrições entre em contato pelo Whatsapp (19) 99720-6186, com Kha Machado.
Parcerias: Assuma Sustentabilidade, CCLA Centro de Ciências, Letras e Artes de Campinas, PPGCR Programa de Pós Graduação de Ciência de Religião PUC Campinas.
Apoios: Apropucc (Associação dos Professores da PUC Campinas), Sinpro (Sindicato dos Professores da Rede Particular de Ensino de Campinas) e site Campinas.com.
Banner_rabeca_cultural_leandro2

Sobre o autor

Artigos relacionados

Notícias

Chopp comCiência aborda causa e controle da Febre Amarela

O tema em debate na próxima edição do Chopp comCiência é “Febre Amarela: causa e controle”. O encontro acontece no dia 20 de março, das 20 às 22 horas, no

Notícias 0 comentários

XII Concurso de Contos e Poesias

O Sindicato dos Professores de Campinas e Região está com inscrições abertas para o Concurso de Contos e Poesias. Em sua décima segunda edição, o Concurso de Contos e Poesias

Notícias

TV Fepesp: Os 70 anos dos direitos de todos os humanos

Dia 10 de dezembro a Declaração Universal dos Direitos Humanos completou 70 anos. A Declaração inspirou as cláusulas pétreas da Constituição democrática de 1988 e, para professores e auxiliares de

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!