Por uma escola democrática: Ato em Campinas repudia tentativa de amordaçar o magistério

A coordenadora da Secretaria de Relações Internacionais da Contee, Maria Clotilde Lemos Petta, e a secretária-geral do Sinpro Campinas, Conceição Aparecida Fornasari, representaram a Confederação e o sindicato ontem (31) no ato “Por uma escola democrática”, realizado na Câmara de Campinas, contra o Projeto de Lei Ordinária (PLO) 213/2017, que tenta instituir uma Lei da Mordaça nas escolas no município.

Cerca de 300 pessoas lotaram o plenarinho da Casa e outras 200 foram impedidas de entrar na Câmara, após a lotação. O ato, convocado pela Frente Democrática —formada pelos vereadores Gustavo Petta (PCdoB), Mariana Conti (PSOL), Pedro Tourinho (PT) e Carlão do PT —, debateu os riscos à liberdade de cátedra dos professores contidos no projeto de lei, que será votado na próxima segunda-feira (4). A votação da proposta autoritária e deseducadora, que segue os princípios conservadores e censórios do movimento Escola Sem Partido, vai ser importante para expor a face ideológica dos vereadores de Campinas.

Em sua exposição, a diretora da Contee lembrou o vídeo “Eva viu a uva”, dirigido por Ana Petta e Paulo Celestino para a campanha lançada há um ano pela Confederação contra as tentativas de amordaçar o magistério. A campanha da Contee continua ativa e foi a atuação da Confederação que levou, inclusive, à derrubada, por meio de liminar expedida pelo ministro Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), da Lei da Mordaça do estado de Alagoas. Embora diga respeito à norma alagoana, a liminar é um passo essencial para barrar todas as propostas similares que tramitam no Congresso Nacional e nas assembleias legislativas e câmaras municipais de todo o Brasil — inclusive a de Campinas —, todas claramente inconstitucionais, por atentarem contra a liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber, e contra o pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas.

Fonte: Contee

Artigos relacionados

Notícias

Centrais farão jornada de luta contra reforma no dia 19/02

As Centrais Sindicais – CSB, CTB, CUT, Força, Intersindical, Nova Central e UGT -,  realizam em 19 de fevereiro um Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência. Sob o

Notícias

MPF pede à Justiça suspensão de efeitos do decreto presidencial que alterou o Fórum Nacional de Educação

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou nessa segunda-feira (4) uma ação civil pública que solicita, no prazo de 72 horas, a suspensão dos efeitos concretos do decreto presidencial de 26

Notícias

Educação Superior: Pauta patronal propõe corte de direitos

Na semana passada, dia 30, aconteceu a segunda rodada de negociação da Campanha Salarial dos professores e auxiliares do Ensino Superior de São Paulo. A comissão dos sindicatos integrantes da

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!