1968: 50 anos depois – “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer!”

De 16 a 18 de maio, às 19h, no MIS (Museu da Imagem e do Som) de Campinas,a Apropucc e demais entidades sindicais, estudantis e dos movimentos populares convidam para os debates sobre o o período de 1968, 50 anos depois desse período que marcou a história do nosso país.

 

PROGRAMAÇÃO:

 

  • 16 de maio (quarta-feira), 19h

Reflexões sobre 1968 no Brasil: Bernardo Joffily (jornalista e vice-presidente da UBES em 1968), Rose Nogueira (jornalista, presa política e presidenta do grupo Tortura Nunca Mais) e Arnaldo Lemos (professor de sociologia da PUCCAMP). 


  • 17 de maio (quinta-feira), 19h

1968 em Campinas pelos olhos dos militantes do movimento estudantil presos em Ibiúna: Augusto César Petta, Luiz Carlos de Freitas, Helena de Freitas, Robeni Baptista da Costa

 

  • 18 de maio (sexta-feira), 19h

1968 e a cultura brasileira: Renato Tapajós (cineasta) e Jonas Lemos (diretor de teatro) 


Local: Museu da Imagem e do Som (MIS) de Campinas fica na Rua Regente Feijó, 859 – Centro.

 

7710b480-6a4f-4bf1-ab97-13bec5bc8c43

 

 

 

 

Fonte: MIS Campinas

 

 

Artigos relacionados

Destaques

TRT mantém decisão e anula alterações na carreira docente da PUC-Campinas

Em 2006, entrou em vigor o novo plano da carreira docente da PUC-Campinas que, dentre outras mudanças, estabeleceu que as horas-pesquisa, antes chamadas horas-dedicação, valeriam 60% do valor referência da

Destaques

A ofensiva do capital contra o ensino

Em artigo, coordenador da Contee (*) reflete sobre mais uma etapa da investida do capital sobre o ensino com a recente aquisição da Somos Educação pela Kroton Educacional A recente

Destaques

Reforma Trabalhista deve ser aplicada à luz da Constituição

A Lei 13.467/17, relativa à Reforma Trabalhista, vigente desde o dia 11 de novembro de 2017, não pode ser aplicada aos processos ajuizados antes desta data. A reforma deve ser aplicada

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!