Filme Libertem Ângela Davis será exibido no MIS

Nesta quarta-feira (22), às 19h30, será exibido no Museu da Imagem e do Som (MIS) de Campinas o documentário que retrata a vida da comunista e ativista negra Ângela Davis. A obra da diretora Shola Lynche integra a Semana da Consciência Negra da cidade.
O MIS fica na Rua Regente Feijó, 859 – Centro de Campinas.

Sobre o documentário
Depois de estudar na Europa, Ângela Davis tornou-se professora de filosofia na conceituada Universidade da Califórnia. Mas, logo seria demitida por pressão do então governador Ronald Reagan.
Ângela era integrante do Partido Comunista dos Estados Unidos, dos Panteras Negras e do movimento Black Power, por sua militância pelos direitos das mulheres e contra a discriminação social e racial nos Estados Unidos
Nos anos 1970 foi falsamente acusada de organizar uma fuga de presos na qual morreu um juiz e quatro outras pessoas.
Transformou-se na mulher mais procurada dos Estados Unidos. Após sua prisão, comemorada pelo presidente Nixon, organizou-se uma campanha internacional por sua libertação.
É autoria do livro “Mulher, Raça E Classe”, onde desenvolveu um estudo elaborado a respeito das condições da população negra nos Estados Unidos por um viés interseccional, ou seja, analisando como racismo, capitalismo e sexismo estruturam as relações, gerando formas combinadas de opressão.
Ângela é pesquisadora sobre o sistema carcerário e como ativista estabeleceu as relações entre o sistema escravista e o sistema prisional.
A exibição está sendo promovida pela UBM (União Brasileira de Mulheres) e Unegro (União dos negros pela Igualdade) como apoio do MIS, Museu da Cidade, Secretaria de Cultura da Prefeitura Municipal de Campinas.

Artigos relacionados

informativos

CES | Palestras Formativas discutirão a pandemia e o desgoverno

O Ciclo Nacional de Palestras Formativas Remotas “Wagner Gomes” do CES (Centro Nacional de Estudos Sindicais e do Trabalho) acontece entre os dias 20 a 25 de setembro (períodos matutinos) com o tema “Pandemia com

informativos

Após seis meses da reforma na CLT, trabalhadores colecionam prejuízos

Dados oficiais demonstram queda de 88% na arrecadação de sindicatos e redução de 46% em ações trabalhistas. Em vigor desde o final do ano passado, a reforma trabalhista trouxe um

informativos

Vídeo do Conselho Nacional de Saúde diz que “O SUS não pode morrer”

O Conselho Nacional de Saúde (CNS) divulga vídeo sobre a campanha “O SUS não pode morrer”, explicando que o Sistema Único de Saúde (SUS), instituído pela Constituição de 1988, é

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!