Coordenador-geral da Contee convoca trabalhadores a manter paralisação contra a reforma da Previdência

O coordenador-geral da Contee, Gilson Reis, convocou os trabalhadores da base da Confederação, professores e técnicos administrativos que atuam na educação privada, a manter a paralisação convocada para a próxima terça-feira, 5 de dezembro. Gilson considerou indevido o recuo das centrais de suspender a greve geral que havia sido marcada para esse dia e afirmou que a paralisação é fundamental para mobilizar a classe trabalhadora brasileira e, sobretudo, pressionar os deputados federais a não votar a reforma previdenciária.

“Precisamos estar nas ruas, na praças, discutindo, debatendo e mostrando à sociedade nossa posição e nossa opinião. Por isso, enquanto coordenador da Contee, sugiro e convoco nossos companheiros de todos os sindicatos: que nós façamos no dia 5 nossas manifestações, nossas denúncias, nossas pressões em cima dos deputados para que tenhamos condições não só de acumular força caso o governo venha a querer aprovar essa reforma ainda este ano ou em 2018 e, principalmente, para ganhar mentes e corações do povo brasileiro para não permitir mais um ataque contra nossos direitos.”

Assista ao vídeo do coordenador-geral da Contee:

Fonte: Contee

Artigos relacionados

Notícias

Candidatos a vereador do PSD, PSOL, PDT, PHS, PRB participaram de sabatina

A primeira sabatina com candidatos à Câmara Municipal de Campinas aconteceu segunda-feira (19) e contou com a presença de cinco candidatos que apresentaram suas ideias sobre o tema “O Legislativo

Notícias

Fórum: “A Inspeção do Trabalho no Brasil e Reformas Trabalhistas”

“A Inspeção do Trabalho no Brasil e Reformas Trabalhistas” é o tema do Fórum Permanente de Políticas Públicas e Cidadania da Unicamp. Será dia 14 de setembro, das 9 às

Notícias

CNBB manifesta apoio ao Cimi e denuncia desrespeito a direitos conquistados

Para a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), as acusações recebidas pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi) são infundadas e injustas. Em nota divulgada pela presidência da entidade nesta quinta-feira,

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!