Greve Nacional da Educação – Dia 13/08 todos(as) às ruas!

A Greve Nacional da Educação vai parar novamente o país contra os sucessivos ataques ao setor, na próxima terça-feira, dia 13 de agosto. Entidades da educação e do movimento estudantil – ANDES, SINASEFE, UNE, CNTE, UBES, ANPG, CONTEE, FENET, PROIFES e FASUBRA – definiram ações conjuntas. As manifestações estão confirmadas nas principais capitais e em diversos municípios no “3º Grande Ato em Defesa da Educação”.

Confira os horários e locais.

Estudantes, professores, técnico-administrativos em Educação, movimentos sociais, centrais e entidades sindicais permanecem mobilizados, desde o início do ano, e não vão se calar diante do projeto do atual governo que é a completa destruição das Instituições Públicas de Ensino Superior – IPES do país. Os cortes anunciados vão impactar todos os setores da Educação, da ciência e tecnologia às áreas de limpeza e segurança, e vão inviabilizar o funcionamento de muitas instituições, que vão parar as atividades já neste segundo semestre ou funcionar parcialmente.

Até o momento, os cortes já somam R$ 6,1 bilhões e apontam para o colapso financeiro das Universidades e Institutos não só este ano, mas também em 2020. Os cortes de verbas significam, na prática, mais de 50% de impacto no orçamento de algumas instituições.

Além de enfrentar o corte de recursos, o objetivo é denunciar também os retrocessos com o projeto Future-se, que dá continuidade ao desmonte e à precarização da Educação com o aprofundamento das políticas de mercantilização. A comunidade acadêmica denuncia ainda os ataques à autonomia universitária; a desqualificação da atividade docente; o congelamento de salários; o fim dos concursos públicos; a liberação da terceirização em massa; a militarização das escolas; e a tentativa de eliminar as eleições democráticas para dirigentes, entre outros aspectos.

Para a Direção Nacional da Fasubra Sindical (Federação de Sindicatos dos Trabalhadores em Universidades Brasileiras), a Educação está unida, vai resistir e enfrentar o governo nas ruas, já que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, não recebe as entidades. Os atos de 15 e 30 de maio demonstraram a capacidade de reação do setor e o dia 13 de agosto vai ser ainda maior, pois a Educação no Brasil precisa ser prioridade.

Governo aciona as Forças Armadas

A portaria 686, publicada nesta quinta-feira (8) no Diário Oficial da União (DOU), autoriza a atuação da Força Nacional contra os protestos em todo o país. Segundo a portaria, os agentes poderão agir “em caráter episódico e planejado”, a pedido do Ministério da Educação (MEC).

A Fasubra Sindical repudia firmemente o posicionamento do governo. Pois, ao invés de prezar pelo diálogo, opta pelo confronto e repressão. As manifestações têm caráter pacífico, de defesa da democracia e contra a retirada de direitos. Não se pode permitir o cerceamento da liberdade de expressão e direito de manifestação.

Fonte: Fasubra Sindical

Artigos relacionados

Destaques

#13A – Dia Nacional de Luta pela Educação e Aposentadoria (Campinas)

As Centrais Sindicais, Movimentos Estudantis, Movimentos de Moradia e demais Movimentos Sociais estão organizando o dia 13 de agosto (#13A), o Tsunami da Educação. Será um dia de atos, mobilizações,

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!