Manifesto das entidades em defesa da educação e dos professores

Leia o manifesto abaixo, subscrito por diversas entidades, entre as quais a Contee, a Fepesp e o Sinpro Campinas e Região:

Diversas entidades de professores e professoras do setor público e privado se reúnem neste mês para defender a Educação como o principal patrimônio do qual depende o presente e o futuro do povo brasileiro. Da EDUCAÇÃO depende a formação de todos os profissionais!

Diante de uma onda preconceituosa e demolidora, nega-se o papel crucial da ciência e pesquisa no desenvolvimento do Brasil e se desenvolve todo tipo de ataque antidemocrático à educação e ao professor – já tão pouco valorizado no país. Sendo assim, alertamos a população para o que ela está perdendo. O Governo Bolsonaro tem realizado sucessivos ataques à Educação como um todo, tem favorecido as corporações estrangeiras de investidores que veem na educação um negócio e não um direito de todos. Ao contrário do que dizem, não é por causa da “crise” ou por falta de dinheiro que fecham escolas e demitem professores. Do mesmo modo, na Educação Pública do Estado de São Paulo, o Governo Dória faz propaganda de melhorias na educação enquanto favorece a privatização do ensino, retira investimentos e tenta impedir o senso crítico e a diversidade. Os professores, além de atingidos por baixos salários e péssimas condições de trabalho, são desrespeitados e censurados.

Enquanto perdoam-se dívidas bilionárias dos mais ricos no país e se mantém privilégios dos que recebem altíssimos salários e benefícios, verbas imprescindíveis à Educação são cortadas, escolas fechadas, universidades públicas são desmontadas e bolsas pesquisas cortadas. Nos últimos anos, diversas conquistas na área da saúde, como vacinas, cura de doenças e estudos para proteção ambiental, por exemplo, só foram possíveis graças ao trabalho de pesquisadores e bolsas de estudo e pesquisa de estudantes.

Alertamos a população para as consequências desses ataques para o futuro da sociedade brasileira: subdesenvolvimento e dependência da pesquisa estrangeira, o que resulta em tratamentos e remédios mais caros, precarização de empregos, cientistas deixando o país. Com a atual política, corremos o risco de um retrocesso de no mínimo 40 anos, deixando de ser um país do futuro e passando a ser um povo que se lamenta e vive preso no passado.

NENHUM PAÍS SE DESENVOLVE E CHEGA À SUA INDEPENDÊNCIA E SOBERANIA

SEM EDUCAÇÃO DE QUALIDADE

APEOESP –Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo;
ADUNICAMP – Associação de Docentes da Unicamp;
APROPUCC – Associação dos Professores da PUC-Campinas;
CONTEE – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino;
SINPRO – Sindicato dos Professores de Campinas e Região;
Fórum Municipal de Educação de Campinas;
Escola sem Censura – Coletivo de Educadores da Rede Municipal de Campinas;
FETE-SP – Federação Estadual dos Trabalhadores da Educação;
Frente Brasil Popular Campinas e Região;
FEPESP – Federação dos Professores do Estado de São Paulo;
Mandatos dos vereadores de Campinas Carlão do PT, Gustavo Petta (PCdoB) e Pedro Tourinho (PT);
STU – Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp;
Ponto de Cultura EtnoCidade;
Marcha Mundial das Mulheres;
CUT – Central única dos Trabalhadores;
CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil;
APEESP – Associação de Professores de Espanhol do Estado de São Paulo;
Movimento Correnteza;
UCES – União Campineira dos Estudantes Secundários;
Ponto de Cultura Nina;
Cineclube Outubro.

Fonte: Contee

Artigos relacionados

informativos

Exija seu direito de homologação no Sindicato

O Sinpro Campinas e região reitera a toda categoria que não abra mão dos seus direitos e exija que as homologações sejam feitas no Sindicato. Os professores possuem vários direitos

informativos

Pesquisa: Novas Tecnologias aumentam o volume de trabalho do professor

Seis em cada dez professores da rede privada de ensino superior do estado de São Paulo afirmam que houve um aumento do volume de trabalho com o uso de tecnologias

informativos

Nota de Apoio da Apropucc à greve na Unimep

Tendo em vista a situação caótica instalada pela Rede Metodista e os prejuízos causados aos professores, estudantes e funcionários da Unimep, a diretoria da Apropucc expressa publicamente apoio à greve

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!