Professores vão receber reajuste de 10,57% retroativo a 1º de março

Professores vão receber reajuste de 10,57% retroativo a 1º de março

Os professores da PUC-Campinas vão receber junto com o salário de junho, as diferenças do reajuste de 10,57%, relativas aos meses de março a maio. O índice foi definido na Campanha Salarial deste ano e aprovado na assembleia de 21 de maio e vai servir da base para o cálculo do pagamento das férias e abono de 1/3, que os professores devem receber dois dias antes do início das férias.

O reajuste integral foi parte das reivindicações definidas na assembleia realizada no dia 24 de maio, numa ação conjunta do Sinpro Campinas e Região e da Apropucc.

O Sinpro Campinas e a Apropucc estiveram reunidos com a Reitoria da Universidade nesta terça-feira, dia 14 de junho para discutir questões definidas pela assembleia dos professores. Além do reajuste dos salários, faziam parte da pauta, a assinatura de um Acordo Interno e as alterações da carga horária dos docentes, um ajuste pressionado por adequações à CLT.

As queixas principais dos professores durante a assembleia foram a falta de democracia dentro da Universidade e a intensificação do trabalho docente.

Entre os temas discutidos com a Reitoria estavam o excesso de alunos em sala de aula, o processo de avaliação docente pelos alunos, a falta de infraestrutura nas salas de aula e nas salas dos professores e a divulgação da classificação de professores que participam de processos seletivos para o docente interessado.

A Reitoria se comprometeu a discutir, a partir de agosto, toda a pauta acadêmica com a Apropucc e as instâncias e órgãos internos da Universidade.

Fonte: Sinpro Campinas

Artigos relacionados

Notícias

Não é ignorância, é o “mercado”…

Editorial da Folha, com seu tradicional privatismo, reflete sobre a questão da formação dos médicos. Sempre usando a “liberdade de imprensa” a favor do “mercado”, ou seja, a favor do

Notícias

Projetos que controlam a internet avançam na Câmara

Em sua coluna na Folha de S. Paulo, o advogado Ronaldo Lemos chama a atenção para a tramitação de um projeto de lei que pretende criar um Cadastro Nacional de

Notícias

Boaventura de Sousa Santos destrincha o assédio neoliberal às universidades

“A ideia de que o único valor do conhecimento é o valor de mercado é o que irá matar a universidade. Uma universidade que é ‘sustentável’ porque financia a si

0 comentários

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar esta matéria!